Saturday, December 1, 2007

"Control" again...


sou um pouco suspeito para falar dos Joy Division. suspeito, para bem e para mal. "memórias", já dizia o outro.

mas o filme encheu as medidas. superou, largamente, as expectativas!

muito interessante como não se colou ao "24hour party people" de Michael Winterbottom, sendo que se trata quase de uma biografia do Ian Curtis. os demónios, sonhos, amores e a morte. além disso, os "cromos", eles estão todos lá: desde os Buzzcocks e The Fall (que tive a fantástica e quase única oportunidade de ver e ouvir este ano no Primavera Sounds; os sobreviventes do punk inglês, velhos, gordos e gastos, mas a ensinar ou a relembrar a muita boa gente que afinal não só o "Punk's Not Dead" como também os dinossauros estão cá para mostrar que ainda têm garras e dentes e língua afiados), aos Sex Pistols e por aí fora.
novamente, cena fulcral, o concerto (já postei o poster uns posts atrás) dos Sex Pistols, onde se deu o Big Bang do Rock e do Punk em Inglaterra. esta é de resto uma das poucas cenas comuns aos dois filmes sobre ou à volta de Manchester, Joy Division, Ian Curtis ou New Order .. u choose!

resumindo: vão ver num big screen e com um bom sistema de som enquanto podem. e depois, o dvd deverá certamente valer a pena ser comprado.

Sam Riley, no seu primeiro papel principal sugere que pode vir a ser um grande actor. fantástica e muito surpreendente interpretação. faltou-nos talvez o steve coogan, novamente no lugar do Mr. Tony Wilson
Anton Corbijn, já como mencionei previamente, é um génio da fotografia (volta a filmar integralmente a P&B) e deverá guardar para os extras do dvd, uns tesourinhos bem à maneira.

3 comments:

O Puto said...

Ao contrário do que diz a crítica especializada, também gostei muito do filme. De forma despretensiosa e legítima, mostra o lado humano do Ian Curtis e afasta-o que qualquer ideia de rock star que possamos ter tido (ao contrário dos revivalistas de hoje em dia), tudo de uma forma bela, contemplativa, melancólica q. b. e profunda (aqui o termo mais apropriado seria "meaningfull"). Abraço!

Joao said...

Buenas!
Sim, tens toda a razão e acertaste nos termos: "meaningfull" e "lado humano".
abraços e espero apanhar-te cá por baixo um destes dias.

abraço

Kraak/Peixinho said...

Gostei bastante do filme, embora tenha saído do cinema com uma depressão que levou algumas horas a passar. :)

Hugzz!