Thursday, June 14, 2007

E porque não é preciso nenhuma razão para me lembrar deles...



um artigo na Pitchfork, fala do novo DVD dos The Flaming Lips.



depois de me vir à cabeça a memória do primeiro concerto que vi deles (Paredes de Coura 2001?), consegui pôr os pés no chão e pensar num post dedicado a eles.



Formados em 1983, em Oklahoma e desde cedo conhecidos pelo seu rock psicadélico, só em 1993 se tornam algo conhecidos, com o exito "she don't use jelly" e como donos e senhores de trabalhos com nomes tão estranhos e longos como "Finally the Punk Rockers are Taking Acid", "The Day they Shot a Hole in the Jesus Egg", "Due to High Expectations .. The Flaming Lips are Providing Needles for your Balloons" ou "Yeah, I know it's a Drag . But Wastin' Pigs is Still Radical".


"She don't use jelly" - Live @ Oklahoma06




Em 1997, editam o album "Zaireeka", em que o conjunto de 4 cds que compunha o album, deveria ser tocado em simultaneo. Ou seja, a criatividade e exuberância dos trabalhos, não se limitava às letras e nomes dos trabalhos, mas aos próprios trabalhos em si.




Em 2000, com o excelente "The Soft Bulletin", saltam para os grandes palcos da música e ganham o devido reconhecimento no seu país (quando já o eram na Europa), criando músicas mais acessíveis, com as letras habitualmente líricas, psicadélicas, estranhas.




Ao vivo, são uma banda quase única. Banda? humm.. Grupo de Teatro!!! performances de marionetas (macaco e freira) partilhando o microfone com o Wayne Coyne, depois de encher de "sangue" pela cabeça abaixo; os membros da banda tocarem muitas vezes mascarados (especial preferência pelo "costume" coelho); clips de video em projecção, acompanhando as músicas e muito muito mais (depois disto, o facto de ele ser brutalmente desafinado, é relevante?).







momento fantastico ao vivo dos Flaming Lips, em parceria com Cat Power (alias Chan Marshall), numa versão dos Black Sabath "War Pigs"





no Lolapalooza 2006



em 2006 e depois de trabalhos que lhes deram uma maior exposição, como o album "Yoshimi Battles the Pink Robot", a participação no disco dos Chemical Brothers, no tema "the golden path" ou na banda sonora do filme "the spongebob squarepants", e digressões com outros nomes pesados da música alternativa (foto da "luta" com Beck mais abaixo), vêm editar o "At War with the Mystics", ganhando 2 grammy awards.



"The Yeah Yeah Yeah Song":


agora editam "U.F.O.s at the Zoo: The Legendary Concert in Oklahoma City" em DVD.

fotos de X

4 comments:

joao said...

a) ja vi este concerto do casaco branco e do sangue na televisao quando tocaram no austin city nao sei em que ano.
b) pensando agora melhor, os videos eram tambem algo assim do genero (coelhos, etc)
c) serao os concertos sempre assim, ou o que eu vi era especial?

Sea said...

acho que é necessário uma razão específica para nos lembrarmos dos The Flaming Lips... mais não seja, o pouco convencionais que são.

osvaldo said...

Parabéns pelo excelente post!

O «The Soft Bulletin» é, de facto, um álbum fantástico! O «Yoshimi Battles The Pink Robots» também é muito bom, mas já não beneficia do efeito surpresa do disco anterior. Nas minhas frequentes idas à FNAC, cheguei a ter várias vezes na mão o último álbum de originais «At War With The Mystics». No entanto, por algum motivo, acabou sempre por ser preterido. Portanto, não me posso pronunciar sobre esse.

Tenho ainda a caixa de três discos «Finally The Punk Rockers Are Taking Acid» que agrupa o primeiro EP e os três primeiros álbuns. Foi uma grande desilusão. À excepção de duas ou três músicas, qualquer semelhança com a excelência sónica de «The Soft Bulletin» é pura coincidência. A voz de Wayne Coyne é irreconhecível. A música é demasiado básica. Nos piores momentos, chego a lembrar-me dos Guns & Roses de «Appetite For Destruction»...

Não sabia da edição deste DVD. Pode ser uma interessante aquisição. Gracias muchacho!

Joao said...

uff.. consegui um post relativamente unanime!

quanto ao "finally the punk rockers..", tb confesso que nao morro de amores pelo trabalho. e infelizmente, depois do "soft bulletin", duvido que volte a sentir tanta adoração pelos Flaming Lips. se calhar porque roça a obra prima. digo eu! :D